Página Inicial







Egipto: Militantes do partido de Mohamed Mursi condenados à prisão perpétua
22 de Maio de 2014

Cinquenta e quatro membros do partido do ex-presidente egípcio Mohamed Mursi foram condenados à prisão perpétua nesta quarta-feira por um tribunal antiterrorismo por envolvimento em protestos violentos, informaram fontes judiciais.

 

Os réus foram acusados de pertencer a um grupo terrorista, em tentativa de assassinato, actos de violência, participação em manifestações não autorizadas e ataques à propriedade pública e privada, de acordo com as mesmas fontes.

 

Sentenças que variam de um a dez anos de prisão também foram pronunciadas contra 104 outros acusados, incluindo três estudantes, por acusações semelhantes.

 

Desde a destituição de Mohamed Mursi, em Julho do ano passado, os seus partidários protestam todas as semanas para exigir sua volta ao poder. Estas manifestações terminaram muitas vezes em confrontos com as forças de segurança e com grupos favoráveis às autoridades militares.

 

O governo egípcio também adoptou em Novembro uma lei que proíbe manifestações não autorizadas.

 

A influente Irmandade Muçulmana, à qual pertence Mohamed Mursi, foi declarada organização "terrorista" em Dezembro, e centenas de pessoas foram condenadas à morte ou a longas penas em julgamentos em massa.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados