Página Inicial







Mundo: Em nome da humanidade, conflito no Médio Oriente tem que acabar
29 de Julho de 2014

Chefe da ONU diz que israelitas e palestinianos têm a responsabilidade de começar diálogo para abordar as causas do conflito; ele retornou à sede das Nações Unidas após viagem de seis dias à região para promover cessar-fogo.

 

O secretário-geral da ONU pediu a israelitas e palestinianos que renovem a pausa humanitária em Gaza. Ele reiterou seu pedido por um cessar-fogo duradouro que possa "preparar o terreno" para o início de negociações.

 

O secretário-geral disse que israelitas e palestinianos têm a responsabilidade de cessar as hostilidades imediatamente, começar o diálogo e abordar as causas do conflito, o que vai "finalmente interromper o ciclo de sofrimento."

 

De acordo com Ban, "isto significa paz através de respeito mútuo" e o "fim do estrangulamento econômico de Gaza e quase meio século de ocupação". Ele disse ainda que "em nome da humanidade, a violência deve parar".

 

O número de mortos por causa do conflito continua a subir. De acordo com o secretário-geral, mais de mil palestinianos morreram, a maioria civis e centenas de crianças. Foguetes lançados pelo Hamas causaram a morte de três civis israelitas. Segundo agências de notícias, pelo menos 43 soldados morreram nos combates. Ele defendeu que deve haver justiça para os crimes cometidos por todos os lados.

 

Mais de 173 mil pessoas procuram proteção em instalações da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinianos (Unrwa) Isto significa cerca de 10 por cento de toda a população do lugar.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados