Página Inicial







Vaticano: A Igreja não abandona as famílias mais sofredoras
26 de Outubro de 2015

Uma “família de famílias” na qual “quem tem dificuldades não se sente marginalizado”, quer seja um pobre, um desfavorecido, um prófugo. Este é o Povo de Deus nas palavras de papa Francisco, durante o Angelus do domingo, 25 de Outubro, numa Praça São Pedro repleta de gente, pronunciadas logo a seguir a Missa conclusiva do Sínodo dos Bispos sobre a família. “As famílias mais sofredoras e deslocadas das suas terras – disse Francisco – fazem parte do povo que Deus quer libertar da escravidão e guiar para a liberdade.”

 

O papa Francisco no Angelus de hoje não deixou de se referir ao final do Sínodo dos Bispos sobre a Família, considerando ter sido um “trabalho intenso, animado pela oração e por um espírito de verdadeira comunhão”.

 

A palavra Sínodo significa “caminhar juntos” – recordou o Papa – e neste Sínodo o Santo Padre lembrou o caminho percorrido com as famílias do “Povo santo de Deus disperso por todo o mundo”. Por esta razão o Papa Francisco recordou o profeta Jeremias em uma das leituras do dia, onde verificamos que “o primeiro a querer caminhar connosco, a querer fazer sínodo connosco é o nosso Pai”. E o sonho de Deus é o de formar um povo onde cabem todos “entre eles estão o cego e o coxo” – disse o Papa Francisco.

 

O Santo Padre, a este ponto da sua mensagem antes da recitação do Angelus, declarou que a profecia do povo em caminho fê-lo confrontar-se com a realidade dos refugiados na situação concreta da Europa dos nossos dias. E afirmou:

 

“Também estas famílias mais sofredoras, desenraizadas das suas terras, estiveram presentes connosco no Sínodo, na nossa oração e nos nossos trabalhos, através da voz de alguns dos seus Pastores presentes na Assembleia.”

 

E concluiu: “Estas pessoas em procura da dignidade, estas famílias em procura de paz ficam ainda connosco, a Igreja não as abandona, porque fazem parte do povo que Deus quer libertar da escravidão e guiar para a liberdade.”



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados