Página Inicial







Mundo: Professora afegã distinguida com prémio Nansen para os Refugiados
15 de Setembro de 2015

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) distinguiu esta terça-feira, 15 de setembro, uma professora afegã que se dedicou à educação de raparigas refugiadas no Paquistão. Aqeela Asifi, de 49 anos, recebeu o prémio Nansen para os Refugiados 2015.

 

“Apesar dos escassos recursos e dos desafios culturais, Asifi conseguiu que perto de mil refugiadas tenham concluído a educação primária”, afirma o comunicado do organismo chefiado por António Guterres.

 

Aqeela Asifi é professora de raparigas afegãs refugiadas na aldeia de Kot Chandana, em Mianwali, no Paquistão. O prémio reconheceu a “dedicação corajosa e incansável” da docente à missão de educar raparigas afegãs.

 

“Pessoas como Aqeela Asifi compreendem que as crianças refugiadas de hoje vão determinar o futuro dos seus países e o futuro do mundo. Investir na educação dos refugiados permitirá às crianças romper o ciclo de instabilidade e conflito”, afirmou Guterres.

 

Asifi era já professora quando foi obrigada a fugir de Cabul, com a família, em 1992. Em Kot Chandana, não existiam escolas para raparigas, devido às tradições culturais que mantinham as mulheres em casa e foi aí que começou a ensinar umas poucas raparigas, numa escola improvisada sob uma tenda.

 

Aqeela Asifi defende que é preciso compreender que educar as raparigas desta geração vai transformar as oportunidades da geração seguinte.

 

“Quando se têm mães que frequentaram a escola, quase de certeza as futuras gerações serão educadas. Por isso, se educamos raparigas, educamos gerações. Desejava que um dia o Afeganistão fosse recordado não pela guerra, mas pelo elevado padrão de educação”, afirmou a professora.

 

O prémio Nansen para os Refugiados do ACNUR distingue o trabalho desenvolvido em prol das pessoas e comunidades forçadas a abandonar os seus países.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados