Página Inicial







Vaticano: Francisco em África como mensageiro da paz
20 de Novembro de 2015

Na próxima quarta-feira, 25 de novembro, o Papa Francisco começará a sua primeira Viagem Apostólica a África. Visitará o Quénia, o Uganda e a República Centro-Africana.

 

Em conferência de imprensa, nesta quinta-feira dia 19, o Padre Federico Lombardi, Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, começou por recordar as viagens ao continente africano dos precedentes pontífices, em particular, S. João Paulo II que, no seu pontificado, visitou 42 estados africanos, e depois afirmou que agora é a vez do Papa Francisco: “O Papa já tinha dito uma vez quando estava connosco no avião de regresso do Brasil, que queria ir à Ásia e África: à Ásia já foi, fez duas grandes viagens nas quais participamos e que seguimos, e agora é chegada a hora da África.”

 

O Santo Padre começará a sua viagem pelo Quénia sendo muito aguardado o seu discurso na sede da Agência da ONU para o Ambiente. Aguarda-se um discurso que retome os temas da Encíclica “Laudato Si” – referiu o Padre Lombardi – que destacou a visita do Papa a Kangemi, um bairro pobre da cidade de Nairobi, e o encontro com os jovens:

 

“São jovens que têm a necessidade de serem encorajados, de serem entusiasmados para olharem em frente, numa situação que não é fácil viver o seu testemunho cristão e procurar os caminhos de um desenvolvimento adequado.”

 

Depois será a vez do Uganda onde o momento central será a Missa pelos Mártires do país como comentou o padre Lombardi: “O assunto dos mártires ugandeses é central. Sabemos também quanta importância o Papa dê à temática dos mártires: vimo-lo na Coreia, em particular, e voltaremos a ver no Uganda.”

 

Na República Centro-Africana o grande objetivo do Papa Francisco é estar próximo do povo que sofre. Em especial, o Santo Padre visitará um campo de refugiados, como salientou o porta-voz vaticano: O propósito pelo qual o Papa vai à República Centro-Africana é precisamente aquele de manifestar a sua proximidade ao povo que sofre devido aos conflitos e tensões, portanto, a visita ao campo de refugiados é uma prioridade para o Papa e é a primeira coisa que faz depois de ter encontrado as autoridades.”

 

Momento central da visita do Papa à República Centro-Africana será a abertura da Porta Santa da Catedral de Bangui. De referir que segundo o padre Lombardi não está prevista nenhuma mudança no programa do Santo Padre nesta sua primeira viagem ao continente africano.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados