Página Inicial







Sudão do Sul: Caminhos de Paz
2 de Novembro de 2015

Dom Paride Taban, bispo emérito de Torit, escreveu uma veemente mensagem aos seus compatriotas apontando o dedo aos problemas que estão na origem dos conflitos no Sudão do Sul e o caminho para a paz permanente.

 

Meus irmãos e irmãs, sul-sudaneses, a paz esteja convosco.

 

O Sudão do Sul mais pacífico que eu conheci foi na minha infância, desde 1936 quando nasci até 1954.

 

O motim em 1955 não foi um problema sul-sudanês, e as guerras de 1964-1972, mais a guerra de 1983 a 2005, foram guerras impostas aos sul-sudaneses.

 

Onde estão a verdade, unidade e paz que os sul-sudaneses tinham entre si desde esses anos, e porquê? Isto:

 

Porque aquelas guerras impostas aos sul-sudaneses traumatizaram muitos, muitos esqueceram a sua identidade por estarem separados do seu país, da família. Casamentos desfeitos, famílias partidas, e eles esqueceram a importância dos seus lares de origem onde os trisavós nasceram e foram sepultados. Esta é a razão por que hoje há gente em alguns lugares a construir sob ameaça de armas sobre os túmulos dos avós de outras pessoas. Esqueceram as próprias boas culturas dadas por Deus.

 

Viajei por todo o Sudão do Sul na minha juventude, quando estava no seminário. Todos os padres católicos do Sudão e do Sudão do Sul estudaram num único seminário maior, aprendemos a viver como irmãos, uma família. Encontramos sul-sudaneses em todas as três províncias, Nilo Superior, Rio das Gazelas e Equatória a viverem em paz em cada província e respeitavam-se mutuamente. Não havia derramamento de sangue entre províncias.

 

E porquê este problema, hoje?

Nós, sul-sudaneses, parece que entendemos mal o significado da libertação do Sudão do Sul.

 

Há alguns sul-sudaneses nas nossas comunidades (indivíduos) que não respeitam a cultura dos outros, as suas qualidades. Nós, comunidades humanas, não somos como as bestas. Nós, seres humanos, somos criados para respeitar, amar e servir uns aos outros, para partilhar fraternalmente e não para dominar ou mandar noutros ou oprimir outros.

 

Não estou a apontar o dedo a nenhuma tribo ou comunidade, estou a dizer que isto é como Deus nos criou. A situação e a atitude que eu vejo em muitas das vidas sul-sudanesas não estão de acordo com a criação de Deus. Os sul-sudaneses não podem esquecer isto, que Deus nunca esquecerá. Isto: todos os sul-sudaneses lutaram pela independência deste país. Eu escuto até crianças muito novas a ameaçar outras dizendo: «Nós lutámos por este país.» Não foi uma tribo ou família que lutaram pela independência do Sudão do Sul, mas a totalidade dos sul-sudaneses, nubas, gente do Nilo Azul e alguns nortenhos, eu sou uma das testemunhas.

 

Se a verdadeira paz tem que reinar no Sudão do Sul, todos os sul-sudaneses têm que amar e tratar-se como iguais, com amor e respeitando-se mutuamente como uma única família do único Deus. E têm que fazer o mesmo àqueles que os ajudaram.

 

Amo-vos, todos os sul-sudaneses, sou o vosso servo e pastor, pronto para vos servir até ao meu túmulo. Amo cada um da mesma maneira que Deus vos ama.

 

Os sul-sudaneses nunca foram tribalistas, durante a minha juventude. Isto piorou por causa de poderes políticos e dependendo de fundos públicos, a riqueza do país, depois de os colonizadores terem partido. Os sul-sudaneses tentam imitar os seus colonizadores para colonizar os próprios irmãos e irmãs. Digamos, sul-sudaneses, a verdade e a verdade libertar-vos-á, estamos a morrer porque não somos sinceros uns com os outros. Todos os sul-sudaneses são um povo, estamos todos interrelacionados, todos miscigenados. Não nos comportemos como alguns animais selvagens que dizem «A tua morte é a minha vida.»

 

Agora, digamos estas 28 palavras:

AMOR, ALEGRIA, PAZ, PACIÊNCIA, COMPAIXÃO, SOLIDARIEDADE, BONDADE, VERDADE, BRANDURA, AUTOCONTROLO, HUMILDADE, POBREZA, PERDÃO, MISERICÓRDIA, AMIZADE, CONFIANÇA, UNIDADE, PUREZA, FÉ, ESPERANÇA.

 

Estas são 20, mais oito frases:

AMO-TE, SINTO A TUA FALTA, OBRIGADO, EU PERDOO, NÓS ESQUECEMOS, JUNTOS, ESTOU ERRADO, DESCULPA.

 

Podemos trazer a paz permanente para o Sudão do Sul. Se fizermos isto.

Amo-vos,

Que Deus vos abençoe

Bispo Paride Taban

 

bishoptabanparide@yahoo.com



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados