Página Inicial







Sudão do Sul: Igreja emite comunicado após onda de violência
1 de Julho de 2016

Líderes religiosos do Sudão do Sul emitiram um comunicado após episódios de violência nas localidades de Wau e Bahr al Ghazal Ocidental. “Confiança em Deus, que salva”, escreveram os religiosos.

 

O Conselho de Igrejas do Sudão do Sul (SSCC, na sigla original) afirma que estiveram reunidos para “oração e reflexão sobre a Palavra de Deus” e clama por um “fim à violência no sul do Sudão”, especialmente o derramamento de sangue em Wau e arredores."

 

"Em nome de Deus, deixem as armas de guerra e acabem com a violência e a morte!", escrevem.

 

Os líderes religiosos assinalam que estão “profundamente perturbados e conscientes do sofrimento” que estes combates intoleráveis estão a causar.
“Muitos inocentes foram deslocados de suas casas, estão apertados em instalações de igrejas ou confinados em campos das Nações Unidas”.

 

De acordo com a ONU, 12 mil pessoas foram deslocadas desde o início da semana. Mais de 100 mil desde o ano. Também esta semana, 40 crianças foram dadas como desaparecidas na localidade de Wau.

 

“Como agentes de paz, todos nós estamos indignados com a morte, os ferimentos, a fome e o medo atingem nossas maiores cidades”, acrescentam.

 

Neste sentido, os líderes da Igreja no Sudão do Sul encorajam o povo a “não peder a esperança, mas confiar em Deus”.

 

Os religiosos ainda exortam o Governo de Transição de Unidade Nacional a pôr termo imediatamente a violência nesta região e convocar os combatentes a retirada.

 

“Que os direitos humanos sejam respeitados e todos os cidadãos sejam protegidos até que possam regressar para casa em segurança. É preciso garantir o apoio humanitário às pessoas afetadas pelo conflito".

 

Ao povo, os religiosos pedem compromisso com os pontos acordados no Acordo de Paz e pedem que “todos mantenham a calma e abracem a unidade e a paz”.

 

Para concluir, os líderes da Igreja apelam por “uma investigação aberta, credível e transparente sobre as causas e os responsáveis por toda essa violência”.

 

Wau tem sido palco de muitas situações de violência. Um funcionário do governo revelou que mais de 40 pessoas foram mortas e milhares deslocadas nos confrontos ocorridos em Wau no último fim de semana (25 e 26 de junho).



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados