Página Inicial







Polónia: Cristãos perseguidos serão lembrados na JMJ 2016
19 de Julho de 2016

A fundação pontifícia «Ajuda à Igreja que Sofre» (AIS) lançará a campanha internacional ‘Let’s be One’, destinada aos participantes da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em Cracóvia, Polônia, de 26 a 31 de julho.

 

“A campanha tem como objetivo consciencializar os jovens de que, em muitas partes do mundo, há milhões de cristãos que, por diversas razões, não podem ir à Polônia participar da JMJ apesar de o desejarem fazer”, refere um comunicado de AIS.

 

Através de depoimentos pessoais - que deram origem a pequenos filmes de cerca de 1 minuto cada - a Fundação AIS pretende dar voz a rostos concretos de jovens que são testemunho, de alguma forma, do sofrimento dos cristãos.

 

Trata-se de jovens católicos oriundos de países como Israel, Papua-Nova Guiné, Iraque, Cuba, Quénia e Polónia, e trazem uma mensagem comum: “Não podemos estar em Cracóvia por causa da guerra, da pobreza, da distância, ou do trabalho voluntário para os outros, mas estaremos unidos a todos em oração”.

 

O Padre Waldemar Císlo, diretor da Fundação AIS na Polónia, destaca a importância desta campanha - que será divulgada por todos os secretariados da Ajuda à Igreja que Sofre -, pelo facto de os Cristãos serem o grupo religioso mais perseguido no mundo. “Não podemos permanecer em silêncio diante deste sofrimento e crueldade”, afirma o sacerdote.

 

A participação da Fundação AIS nas JMJ deste ano é visível também ao apoio dado a cerca de 40 grupos de diferentes países do mundo para que possam viajar até Cracóvia.

 

“Em cada Jornada Mundial da Juventude apoiamos a participação de vários grupos de jovens de diferentes partes do mundo, em especial de países onde há perseguição ou onde os Cristãos são uma minoria. Países como o Iraque, Turquemenistão, Sudão do Sul, Chade, Argélia, Síria, Haiti, Paquistão e Bangladesh são apenas alguns exemplos”, esclarece, por sua vez, Regina Lynch, responsável pelo Departamento de Projetos da AIS Internacional.

 

Os cerca de 5.000 jovens portugueses que vão participar nas JMJ deste ano vão ser incentivados a serem também o rosto da misericórdia no mundo tal como o Papa Francisco pediu aos benfeitores e amigos da Fundação AIS.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados