Página Inicial







Nigéria: Bispo denuncia perseguição aos cristãos
1 de Junho de 2016

Bispo nigeriano denunciou nas Nações Unidas a perseguição contra cristãos que vigora principalmente no norte do país.

 

Dom Joseph Bagobiri, Bispo de Kafanchan, em palestra na sede da ONU, em Nova Iorque, disse que no norte da Nigéria, entre 2006 e 2014, cerca de 11.500 cristãos foram mortos, outros 1,3 milhões obrigados a deixar suas casas e 13 mil igrejas foram destruídas ou abandonadas.

 

As comunidades são mais afectadas pela violência da seita islâmica Boko Haram, que atuam nos estados de Adamawa, Borno, Kano e Yobe. As comunidades cristãs obrigadas à fuga se transferiram a estados de maioria cristã no chamado “cinturão do meio” (Middle Belt): Plateau, Nassarawa, Benue, Taraba e a parte meridional de Kaduna.

 

Nos últimos meses, no entanto, estas áreas do cinturão foram atingidas pelas violências dos pastores Fulani. “As comunidades cristãs estão a ser atacadas e suas terras invadidas por pastores muçulmanos Fulani”.

 

“Os pastores Fulani amedrontam incessantemente várias comunidades e em alguns casos os ataques assumiram carácter de genocídio, com 150 a 300 pessoas mortas numa noite”, sublinhou.

 

Dom Bagobiri lançou um apelo à comunidade internacional para que exerça pressões sobre as autoridades nigerianas a fim de que garantam liberdade de culto aos cristãos e a outras minorias no norte da Nigéria, e enfrentem a emergência humanitária das populações deslocadas.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados